Home / NOTÍCIAS / Cassação de Reginaldo pode dar em nada

Cassação de Reginaldo pode dar em nada


 

Antes de mais nada, devo dizer que não morro de amores por Reginaldo Pereira, o prefeito trapalhão de Santa Rita. Acho-o antipático, arrogante, presunçoso, metido a besta, nepotista e por aí vai. Mas não há como negar um fato consumado: o açodamento dos vereadores, que o cassaram nesta manhã via processo sumaríssimo onde ele sequer foi ouvido, vai favorecê-lo lá na frente, quando recorrer ao judiciário para voltar ao cargo.

E eu explico: Ninguém poderá ser condenado sem o direito a ampla defesa. E quem vos fala neste momento é um sujeito que passou mais de 20 anos presidindo Comissões Permanentes de Inquéritos Administrativos e que já viu muitas condenações desmanchadas pelo Tribunal sob a alegação de cerceamento de defesa, quando, diga-se de passagem, cerceamento sequer existiu.

A Câmara de Santa Rita instaurou três inquéritos contra o prefeito falastrão e proferiu o julgamento em menos de um mês. Nos três inquéritos teria que haver, obrigatoriamente, a citação do indiciado para tomar conhecimento das acusações, a permissão para produzir provas a seu favor, audiência para ser ouvido, prazo para apresentar defesa e, somente depois disso, o julgamento.

Mas em Santa Rita aconteceu tudo pelo avesso, pelo menos é o que me contaram. Fizeram um inquérito às escondidas, marcaram o julgamento com resultado antecipado e hoje houve o desfecho que todos anteviam: o prefeito foi cassado e o vice empossado.

Vai dar água, podem escrever aí. Johnson Abrantes já prepara a ação pedindo a anulação do julgamento ocorrido hoje e com certeza o Tribunal de Justiça decidirá pela anulação.

Quem duvidar, que aguarde os acontecimentos.

 

Fonte: Blog do Tião

Sobre Hudson Almeida

Veja Também

Malas com dólares e relógios são apreendidas com filho de ditador em SP; que supostamente iria para campanha de Haddad

O dinheiro e os relógios estavam em duas malas, segundo o depoimento de um agente ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.