Home / PARAÍBA / DADOS ALARMANTES: Mangabeira é bairro mais violento de João Pessoa, diz relatório da Seds

DADOS ALARMANTES: Mangabeira é bairro mais violento de João Pessoa, diz relatório da Seds

Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP) cresceram 75% em 2014.
Secretaria diz que que investe em inteligência para reduzir crimes.

 vergonha-viaturas-da-policia-militar-da-paraiba-estao-circulando-com-licenciamento-atrasado.jpg.280x200_q85_crop

O bairro de Mangabeira, na Zona Sul de João Pessoa, tem destaque no cenário de violência da capital, tanto em números de Crimes Violentos Letais Intencionais (CLVI) quanto em números de Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP). Em relação a roubos e furtos, o bairro da Zona Sul já teve 161 ocorrências e lidera o ranking de incidência de CVP nos bairros de João Pessoa no 1º quadrimestre de 2014. O aumento foi de 75% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 92 CVPs. Os dados são do Relatório de Indicadores Criminais no 1º Quadrimestre de 2014 da Secretaria de Segurança e Defesa Social (Seds).

Dez bairros de João Pessoa com maior incidência de CVP no 1º quadrimestre
Bairro 2013 2014
 Mangabeira 92 161
2º Centro 194 139
 Manaíra 104 120
 Bancários 73 102
 Cristo Redentor 76 100
 Bessa 63 91
 Valentina 58 86
 Ernesto Geisel 39 86
 Torre 78 80
10º Cruz das Armas 57 75
Fonte: Relatório de Indicadores Criminais no 1º Quadrimestre de 2014 da Seds

Além disso, nos primeiros quatro meses de 2014, Mangabeira já registrou 8 homicídios, ficando na segunda posição dos bairros de João Pessoa. Em 2013, o bairro teve o maior número de CLVIs, registrando 37 mortes.

Morador de Mangabeira, o estudante de Administração Bertrand Arruda, de 20 anos, relatou que já foi assaltado duas vezes na porta de casa. Na primeira vez, em dezembro de 2011, ele estava voltando da igreja quando foi abordado por um rapaz em uma bicicleta que aparentava estar armado com um estilete na cintura. Na ocasião, o universitário teve que entregar a carteira com documentos. “Registrei um BO [Boletim de Ocorrência], mas nunca tive os documentos de volta”, contou.

A segunda vez foi em agosto de 2013 quando Bertrand foi enganado por um homem que fingiu estar com o carro quebrado. “Ele pediu pra empurrar até uma ladeira e eu fui. Na metade do caminho, eu senti que não devia empurrar mais porque a gente estava se aproximando de umas granjas onde dizem que tem tráfico de drogas. Eu voltei correndo e quando cheguei no portão de casa ele apareceu no carro, já funcionando normal. Ele agradeceu a ajuda e eu disse ‘de nada, Deus te abençoe’. E aí ele puxou o facão e anunciou o assalto”, relatou.

Dessa vez, o ladrão levou um MP4 de Bertrand. “Fiquei traumatizado nessa época e evitava muito sair de casa. Eu pegava táxi o tempo todo. Uma semana depois esse mesmo homem assaltou outra pessoa e meus vizinhos são constantemente assaltados”, explicou o universitário, que mora próximo à Praça do Coqueiral, em Mangabeira II.

Bertrand explicou que já pensou várias em sair do bairro por causa da violência. “É uma realidade muito triste. Onde a gente vai é arriscado. Os bairros da região sul estão muito violentos ultimamente. Até andar dentro de ônibus é perigoso”, comentou o rapaz.

Por outro lado, Mangabeira tem 75.988 habitantes, de acordo com dados do Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Enquanto isso, o bairro de João Pessoa com o segundo maior número de moradores, o Cristo Redentor, tem 37.538 habitantes. Se fosse uma cidade, Mangabeira seria a 6ª maior da Paraíba em número de habitantes.

Com esse número alto, alguns moradores não sentem a violência no bairro. “Eu moro em Mangabeira há 9 anos e ninguém da minha casa nunca foi assaltado por aqui. Mas nos Bancários já”, comentou a estudante de Enfermagem, Marystela Elis, de 20 anos, que mora em Mangabeira VII. O bairro dos Bancários aparece na lista de incidência de CVP em quarto lugar com 102 ocorrências em 2014. Houve um aumento de 40% em relação ao mesmo período de 2013, quando foram registrados 73 casos. Segundo o IBGE, o bairro tem 11.863 habitantes.

Segundo a universitária, ela já foi assaltada uma vez e o irmão dela duas no bairro vizinho. “Não rola, não”, disse sobre a possibilidade de morar nos Bancários. Marystela explicou que não tem medo de morar em Mangabeira. “Pra mim, é tranquilo andar aqui. Um dia desses a gente estava lanchando em Mangabeira às 2h da manhã e voltou para casa em paz”, relatou.

Roubos e furtos nos bairros da orla
Os bairros de Manaíra, Bessa e Cabo Branco, localizados na orla de João Pessoa, tiveram aumentos de 15%, 44% e 52% no número de CVPs, respectivamente, se comparando os primeiros quadrimestres de 2013 e 2014. Em números absolutos, o destaque é Manaíra, com 120 casos este ano. Em seguida aparece Bessa com 91 e Cabo Branco com 50.

Dez bairro de João Pessoa com maior CVLI acumulado em 2013 e 2014
Bairro Total 2013 Parcial 2014
1º Alto do Céu 25 9
 Gramame 25 8
 Mangabeira 37 8
 Varadouro 10 8
 Cruz das Armas 26 7
 Cristo Redentor 16 6
 Paratibe 9 5
 Alto do Mateus 16 5
 Roger 9 4
10º Centro 18 4
Fonte: Relatório de Indicadores Criminais no 1º Quadrimestre de 2014 da Seds

De acordo com o coordenador e criador do Laboratório de Estudos da Violência da Universidade Federal da Paraíba, Ariosvaldo Diniz, é preciso estudar o bairro e o entorno dele para entender como a violência ocorre neles.

“Os bairros litorâneos supostamente deveriam registrar menos crimes, por ter maior segurança e um policiamento mais ostensivo. Um fator que aumenta o número de roubos e furtos é a exibição do patrimônio porque o assaltante cobiça justamente o patrimônio do outro. Há complexidade no aumento ou na queda da violência. As autoridades trabalham com o número de homicídios, que caiu em todo o Brasil. Eles exibem como se fosse uma vitória contra a violência, mas às vezes caem os homicídios, mas outros tipos de crime sobem”, explicou.

Dados de CVP são imprecisos
Os números de roubos e furtos registrados no Relatório de Indicadores Criminais no 1º Quadrimestre de 2014 da Seds não podem ser totalmente considerados como reais, de acordo com o Ariosvaldo Diniz. Isto porque, segundo ele, a maioria dos casos não é registrada.

“Boa parte da população não registra por descrença na Polícia Civil. Porque o caso não é levado adiante, não é apurado. Temos essa cultura da não notificação pelo cansaço da população em buscar ajuda paralelamente a outro fenômeno, o da justiça com a próprias mãos”, explicou o pesquisador.

Resposta da Seds
A Seds enviou uma nota ao G1 esclarecendo que ações estão sendo realizadas na região de Mangabeira para coibir os crimes. Segundo o texto, ações de prevenção e ostensivas são realizadas no bairro e, com isso, os homicídios diminuíram. Confira a nota na íntegra:

“As Polícias Civil e Militar têm desenvolvido um trabalho integrado a fim de diminuir os crimes contra a vida e contra o patrimônio na Paraíba. A Capital mereceu atenção especial, assim como seus bairros, tanto é que no 1º quadrimestre de 2014 João Pessoa reduziu em 40% o número de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) – homicídios dolosos ou qualquer outro crime doloso que resulte em morte – em relação ao mesmo período do ano passado, passando de 214 CVLI para 129 CVLI.

Especificamente em Mangabeira, as ações de prevenção, repressão qualificada, com atividades de Inteligência, conseguiram reduzir também em 40% a incidência desses crimes no bairro. De janeiro a maio (5 meses) os números já apontam que os casos caíram de 20 para 12, quando comparados os períodos de 2013 e 2014.

No que se refere aos crimes contra o patrimônio, a Polícia Militar realiza regularmente operações como a Cidade Segura e Visibilidade, que têm caráter preventivo. Ações ostensivas também são executadas, com prisões registradas no bairro, além de apreensões de drogas e armas.

Todo o trabalho acontece com base em relatórios semanais do Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace), que indicam os chamados ‘pontos quentes’, onde são registrados o maior número de crimes. Por isso, é importante que as pessoas procurem as delegacias de Polícia Civil a fim de registrar boletins de ocorrência (BO) sempre que forem vítimas de violência. Lembramos que o BO pode ser registrado em qualquer delegacia, independente de onde o fato delituoso aconteceu, exceto nos casos de roubos de veículos, quando se deve procurar a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos.

Já as ocorrências nas quais não haja violência, como furtos e extravios, podem ser registradas pela Delegacia On Line: www.delegaciaonline.pb.gov.br.”

 

Fonte: G1PB

Sobre Hudson Almeida

Veja Também

Procon-JP notifica postos sobre aumento da gasolina, que está com o menor preço em R$ 4,349

A Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor está notificando os postos de combustíveis ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.