Home / POLITICA / ‘Quero criar ambiente de diálogo’, diz Cássio Cunha Lima, candidato na PB

‘Quero criar ambiente de diálogo’, diz Cássio Cunha Lima, candidato na PB

Candidato também falou sobre a recuperação da Operação Manzuá.
Cássio Cunha Lima foi o segundo entrevistado da série.

 Do G1 PB

“Chega de briga, quero criar um ambiente de diálogo, de paz”, afirmou o candidato durante entrevista ao JPB 1ª edição, exibido pelas TVs Cabo Branco e Paraíba nesta quarta-feira (17)(assista à entrevista na íntegra acima).

Em 10 minutos de entrevista, o candidato do PSDB respondeu às perguntas feitas pelos apresentadores Bruno Sakaue e Isis Coelho e pelo colunista de política Laerte Cerqueira. Ele falou sobre segurança pública e a nova Operação Manzuá, além do salário que recebe no Senado e a pensão de ex-governador, que juntos ultrapassam o piso nacional de funcionário público. O senador ainda garantiu que a carga horária dos servidores públicos deverá ser discutida com o Fórum dos Servidores.

Com relação ao funcionalismo público, o candidato prometeu reduzir a quantidade de servidores comissionados e promover redução de custeio da administração, caso seja eleito. “A Lei de responsabilidade Fiscal não pode ser usada como pretexto para não prestar um serviço público de qualidade”, afirmou. “Vou fazer uma profunda reforma administrativa, uma revisão completa no Estado”, acrescentou.

Cássio Cunha Lima foi o segundo entrevistado da série promovida pelas TVs Cabo Branco e Paraíba. O candidato Ricardo Coutinho (PSB), foi o primeiro entrevistado da rodada de entrevistas do JPB 1ª edição, na segunda-feira (15). O candidato Vital do Rêgo (PMDB) seria entrevistado na terça-feira (16), de acordo com o sorteio realizado pela TV Cabo Branco, mas por conta de compromissos de sua atividade polícia em Brasília, solicitou a mudança da agenda para a sexta-feira (19).

Veja Também

DITADURA DA TOGA: Jornalista conservador é preso a mando de Ministro do STF Alexandre de Moraes

Wellington Macedo de Souza foi preso nesta sexta-feira (3), no inquérito aberto para investigar manifestações ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.