Home / POLITICA / Aécio diz que o ‘PT vai ter insônia’ com as investigações da Petrobras

Aécio diz que o ‘PT vai ter insônia’ com as investigações da Petrobras

Candidato do PSDB mencionou acordo de delação premiada de ex-diretor.
Tucano ironizou citação de diretor indicado pelo PT em denúncia de jornal.

Aécio Neves faz carreata na cidade mineira de Ipatinga. (Foto: Patrícia Belo/G1 Vales de Minas Gerais)
Aécio Neves faz carreata na cidade mineira de Ipatinga. (Foto: Patrícia Belo/G1)

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, disse neste sábado (20) que, na opinião dele, o “PT vai ter grave insônia” quando as investigações envolvendo a Petrobras alcançarem o ex-diretor de Serviços e Engenharia da estatal Renato Duque, que foi indicado para o alto posto na petroleira pelo partido da presidente Dilma Rousseff. Em agenda no interior de Minas, o presidenciável tucano mencionou o acordo de delação premiada firmado entre o ex-diretor da estatal do petróleo Paulo Roberto Costa com o Ministério Público Federal.

“É preciso que as investigações se aprofundem porque esse [ex] diretor Paulo Roberto [Costa] está deixando o pessoal com dor de cabeça. Quando chegarmos ao [Renato] Duque, eu acho que o povo do PT vai ter grave insônia”, disse o tucano ao chegar ao município mineiro de Ipatinga, onde cumpriu agenda de campanha.

Reportagem da “Folha de S.Paulo” publicada neste sábado revelou que, em seus depoimentos à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal, Costa mencionou que o esquema de desvios de recursos na estatal ocorria também em outras diretorias da empresa, uma delas ocupada à época por Renato Duque, indicado pelo PT.

“O que fizeram contra a Petrobras é um crime que lesa a pátria. Eu acho que agora sim estão chegando ao núcleo de corrupção dentro da Petrobras”, acrescentou Aécio.

No acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal, Costa implicou deputados, senadores, governadores e um ministro como beneficiários de um suposto esquema de propina na Petrobras. O ex-dirigente da petroleira foi preso pela Polícia Federal em março, durante a Operação Lava Jato, da PF, que investiga um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Correios
Aécio informou que a sua campanha vai ingressar na segunda-feira com ação contra a sua adversária Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, por improbidade administrativa e abuso do poder político por ter usado os Correios para distribuir cerca de 5 milhões de panfletos da sua campanha.

Panfletos eleitorais da candidata à reeleição e atual presidente, Dilma Rousseff (PT), que não atendiam exigências dos Correios tiveram a postagem autorizada em caráter excepcional pela empresa. O caso foi divulgado nesta sexta-feira (19) pelo jornal “O Estado de S.Paulo”. As peças não tinham carimbo ou impressão que comprovassem sua origem e que sua postagem tinha sido paga pelo contratante.

“As denúncias contra os Correios é crime de abuso de poder e improbidade administrativa. Vamos entrar com uma ação contra a presidente da República pelo que ela está fazendo. Dilma está afrontando a lei eleitoral com os correios. Uma visão patrimonialista do PT, permitindo o uso de uma empresa pública em benefício da sua candidatura”, atacou Aécio.

A coligação liderada pelo PSDB irá entrar com uma representação por improbidade na Procuradoria Geral da República do Distrito Federal e com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Veja Também

De moto nas comunidades de Brasília, Bolsonaro prova, de novo, sua gigantesca popularidade (veja o vídeo)

Reprodução Twitter O presidente da República, Jair Bolsonaro, fez um passeio de moto pela capital ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.