Home / POLITICA / Veneziano diz que ‘infiéis’ do PMDB não devem ser ouvidos para o segundo turno

Veneziano diz que ‘infiéis’ do PMDB não devem ser ouvidos para o segundo turno

Mesmo admirando que haja o posicionamento do partido para o segundo turno o deputado

federal eleito foi categórico ao dizer que alguns filiados traíram a posição partidária no primeiro turno

Veneziano Vital do Rêgo
Veneziano Vital do Rêgo

O deputado federal eleito Veneziano Vital do Rego (PMDB), segundo mais votado no estado, considerou válida a iniciativa da legenda a qual ele faz parte, de se posicionar em relação ao segundo turno para a corrida eleitoral ao Governo da Paraíba. A declaração do peemedebista aconteceu por telefone, diretamente de Campina Grande, durante participação no radiofônico Correio Debate da 98FM, Rede Correio Sat.

Mesmo admirando que haja o posicionamento do PMDB para a segunda fase do pleito eleitoral, Veneziano foi categórico ao dizer que os infiéis não devem ser ouvidos nesta fase das eleições. “O PMDB não deve ficar neutro. Mas, alguns, lamentavelmente, já tomaram seu posicionamento, abandonaram desde cedo. Lastimo. Eu já havia sido abandonado logo cedo e esses, que nos traíram, não vão ser buscados a falar”, disse o deputado eleito.

Ainda sobre os posicionamentos em relação ao segundo turno na Paraíba, Veneziano disse que apenas os fiéis devem ser ouvidos pelo PMDB, que segundo ele não são tantos. “Os fiéis ao PMDB, que não foram tantos, esses devem ser ouvidos. Vital do Rego, que foi decisivo para chegar onde chegamos; Maranhão, e aqueles que foram corretos e leais com o PMDB. Os que já fizeram suas escolha, esses não devem ser buscados”, completou.

Veneziano ainda falou sobre a mágoa que guarda do período pré-eleitoral, quando colocou seu nome como pré-candidato a governador da Paraíba. Mesmo magoado, o peemedebista não chegou a citar nomes.

Veja Também

DITADURA DA TOGA: Jornalista conservador é preso a mando de Ministro do STF Alexandre de Moraes

Wellington Macedo de Souza foi preso nesta sexta-feira (3), no inquérito aberto para investigar manifestações ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.