Home / POLICIAL / Briga em presídio da PB deixa um morto e cinco feridos, diz Seap

Briga em presídio da PB deixa um morto e cinco feridos, diz Seap

 Briga ocorreu na manha deste domingo (2) minutos da visita dos familiares.

As visitas foram suspensas e os agentes estão identificando os agressores. 

 

Apenados feridos durante briga no interior do Presídio do Roger são levados para o Hospital de Trauma (Foto: Walter Paparazzo/G1)
Apenados feridos durante briga no interior do Presídio do Roger são levados para o Hospital de Trauma (Foto: Walter Paparazzo/G1)

Uma briga entre apenados da Penitenciária Fósculo da Nóbrega, também conhecido como  Presídio Roger, resultou na morte de um detento e outros cinco feridos durante o tumulto. As visitas aos apenados foram suspensas na manhã deste domingo (2) por conta da confusão, motivada por dívidas de drogas, segundo o diretor adjunto da unidade, José Mendonça Neto.

Seis detentos foram encaminhados para o Hospital de Emergência e Traumas, no entanto, um deles morreu ao chegar à unidade hospitalar, segundo o secretário de Estado da Administração Penitenciária, Walber Virgulino. Os outros cinco estão em atendimento, mas o Hospital de Traumas não divulgou o estado de saúde dos apenados.

A confusão começou quando os pavilhões 2, 3 e 4 haviam sido abertos e 47 familiares já estavam no interior do presídio para as visitas, segundo o diretor adjunto da unidade, José Mendonça Neto. A briga começou na cela 10 do pavilhão 3, segundo José Mendonça Neto.

A equipe de segurança negociou a saída dos famílias e a situação foi contornada, segundo José Mendonça Neto. “A confusão não foi propriamente durante a visita, mas na hora em que abrimos os pavilhões para dar início às visitas.  Quarenta e sete familiares já estavam no interior do presídio, mas nós negociamos e de pronto fomos atendidos pelos apenados para que os familiares saíssem. Eles já estão recolhidos nas celas”, frisou.

As vítimas sofreram golpes, possivelmente com golpes de barrotes (pedaços de madeira) na cabeça, costas e tóxas, segundo José Mendonça Neto. A informação de que apenados teriam cortado a língua de um dos envolvidos não foi confirmado pela direção. “Nenhum detento foi furado ou cortado. Provavelmente eles usaram barrotes para machucar os apenados”, disse.

José Mendonça Neto afirmou que a direção deve investigar os motivos da briga, embora a situação já esteja sob total controle. “Não foi preciso apoio externo e já está tudo controlado dentro do presídio. Não foi princípio de rebelião e sim uma briga entre os próprios apenados que vamos investigar”, disse. Muitos parentes permaneceram na frente da unidade em busca de informações, enquanto a direção buscava a identificação dos apenados feridos para divugar a lista.

Identificação
Os agentes penitenciários estão no pátio da penitenciária identificando todos os envolvidos nas agressões. Eles serão encaminhados para a 2ª Delegacia Distrital, em Cruz das Armas, na capital. Lá será registrada a ocorrência para a Polícia Civil dar prosseguimento ao processo.
Entrada de drogas
O secretário de Estado da Administração Penitenciária, Walber Virgulino, afirmou que após o fim das revistas íntimas, conhecidas como vexatórias, por ordem da Justiça, tem entrado muita droga nas unidades. “Depois que acabamos a revista íntima está entrando muita droga, especialmente, psicotrópicos”, frisou.

Veja Também

PF reabre inquérito sobre facada em Bolsonaro e vai analisar celular do advogado de Adélio Bispo

O delegado Rodrigo Morais Fernandes vai analisar os dados bancários e o conteúdo do celular ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.