Home / POLICIAL / Genro é preso suspeito de matar e enterrar sogra em casa na Paraíba

Genro é preso suspeito de matar e enterrar sogra em casa na Paraíba

image
Vítima foi encontrada enterrada na dispensa da própria casa, em João Pessoa. (Foto: Walter Paparazzo / G1)

Vítima estava desaparecida há uma semana e foi encontrada na despensa. Caso ocorreu em João Pessoa e suspeito confessou o crime, diz polícia.

Um homem foi preso suspeito de matar e enterrar a sogra na despensa da própria casa, no bairro Bancários, em João Pessoa, capital da Paraíba.

Segundo a Polícia Civil, o crime teria ocorrido no dia 17, mas o corpo da vítima só foi encontrado na madrugada deste domingo (24), uma semana depois. Segundo a polícia, o genro confessou a autoria do crime e disse que pretendia ficar com os bens da vítima. Além do suspeito, outras duas pessoas foram conduzidas à delegacia para prestar depoimento.

De acordo com o delegado da Polícia Civil, Wagner Dorta, a vítima estava desaparecida desde o dia 17 de abril e após uma semana de investigação, policiais do serviço de inteligência receberam uma denúncia anônima de que a vítima estava enterrada dentro da própria casa. A mulher foi encontrada na despensa da residência.

“Depois dessa informação nós chamamos a filha da vítima e fomos até a casa. Durante uma varredura, um dos policiais desconfiou da cerâmica que revestia o piso da despensa, pois estava trocada e havia terra na casa do cachorro. Os policiais tiraram a cerâmica e depois que o corpo foi encontrado, ligaram a Delegacia de Homicídios”, disse o delegado.

Minutos após o encontro do cadáver, o suspeito foi preso próximo a um shopping, no bairro Bancários e assumiu a autoria. “Ele contou que praticou o crime no domingo (17) e enterrou a vítima na despensa. O suspeito conta que matou a vítima com as próprias mãos e que a intenção dele era ficar com o patrimônio da sogra”, disse Wagner Dorta.

O ex-marido da vítima disse que ficou sabendo do desaparecimento da mulher na quarta-feira (20), após tentar falar com ela por telefone durante dois dias e não conseguir.

“Eu tinha viajado para Fortaleza, no Ceará, e na segunda-feira liguei pra ela, mas ninguém atendeu. Liguei na terça-feira e ninguém atendeu. Quando foi na quarta-feira eu liguei para minha cunhada e pedi pra ela ir na casa. Ela chegou lá e disse que achou estranho, pois não havia ninguém em casa e todas as luzes estavam acesas. Foi quando chamei um chaveiro e acionei a polícia”, disse ele.

O ex-marido da vítima conta que chegou a procurar a mulher dentro de casa e passou pela despensa, mas não percebeu a diferença no piso. “O chaveiro ainda achou estranho o piso estar molhado, mas pensamos que foi por causa da chuva”, frisou o ex-marido da vítima.

Uma vizinha da vítima disse que o genro morava na mesma casa dela havia pouco tempo, mas que a relação entre eles era marcada por conflitos.

“Recentemente ela estava morando com a filha, o genro e um neto bebê. Com a filha ela tentava manter uma relação boa, mas, de um tempo pra cá, quando o genro veio morar junto, eles começaram a se desentender. Ela exigia que ele trabalhasse para sustentar a filha dela, mas ele não queria”, disse a amiga da família.
Ainda de acordo com a Polícia Civil o caso continua sendo investigado e outras pessoas devem ser ouvidas.

Segundo o delegado Wagner Dorta, apesar da afirmação do suspeito de que o objetivo do crime era ficar com os bens da vítima, até o momento não existem indícios de que a filha da vítima teve envolvimento com o crime. “Depois da morte, o suspeito saiu de casa com a esposa”, disse o delegado.

Na manhã deste domingo, parentes da vítima informaram que estavam aguardando a liberação do corpo da mulher, que será encaminhado para a cidade de Condado, no Sertão paraibano, onde será velado e sepultado. O enterro deve acontecer ainda neste domingo, devido o estado de decomposição que o corpo foi encontrado.

Veja Também

Tiro acerta celular no bolso da calça de vítima durante tentativa de homicídio no interior de SP

Um homem de 33 anos foi vítima de uma tentativa de homicídio na noite de ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.