Home / POLICIAL / Dupla armada executa o escrivão de Policia Civil durante festividades de candidato eleito na cidade de Arara/PB

Dupla armada executa o escrivão de Policia Civil durante festividades de candidato eleito na cidade de Arara/PB

14581354_989231877854659_1081785240645199056_n

Veio a óbito na noite desta Segunda-feira, 03 de outubro, o Escrivão Marcos Antônio Rosas, “Marcos Rosas”,60 anos, natural de Pedras de Fogo, o escrivão da polícia Civil da Paraíba que já foi Delegado Comissionado em anos anteriores.

Na noite desta segunda-feira, Marcos Rosas estava comemorando com amigos e familiares a vitória do seu candidato a prefeito na cidade de Arara, quando de repente dois homens armados chegaram e dispararam diversos tiros contra o mesmo, vindo a morrer no local, alguns populares foram alvejados na confusão.

Marcos era Escrivão de polícia na cidade de Areia, já fazia mais de 4 anos e estava querendo ser transferido para cidade de Arara, onde reside desde os 10 anos de idade para ajudar a fazer uma “limpa na cidade”. Desde que chegou na cidade não parou um segundo em busca de trazer melhorias para segurança, conseguiu apoio para organizar a delegacia, conseguiu um estagiário para dá apoio no cartório, estava por traz de todas as operações de prisões de adultos e apreensões de menores infratores, muitos desses casos realizados em seu próprio carro, já que a cidade não contava com uma viatura em estado de uso.

A execução recaem em cima de dois elementos que haviam fugido nas duas últimas operações realizados na zona rural se tratando de pai( Naldinho ) e filho, e que já haviam mandado recardo que o matariam.

Nos últimos meses, Marcos já havia cumprido mandados de prisão, apreensões de menores, levantamentos de esconderijos de mais de 15 bandidos, responsáveis por roubos de veículos, assaltos aos Correios, fabricação e porte de armas, drogas e suspeitos de explosões a banco da cidade de Areia.

Considerado um policial linha dura, mas tratava todos da sociedade com carinho e respeito, do varredor de rua até as altas autoridades costumava, chamar de “Meu Amor!”. Quem lhe pedia um trocado e ele tendo em seu bolso, dava sem pensar duas vezes.

Veja Também

Tiro acerta celular no bolso da calça de vítima durante tentativa de homicídio no interior de SP

Um homem de 33 anos foi vítima de uma tentativa de homicídio na noite de ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.