Home / NOTÍCIAS / Bebê tem cabeça arrancada durante o parto

Bebê tem cabeça arrancada durante o parto

Uma reportagem exibida pela TV Vitoriosa, afiliada do SBT no interior de Minas Gerais, comoveu o Brasil inteiro. Nela, a dor de uma mãe que teve os sonhosUma reportagem exibida pela TV Vitoriosa, afiliada do SBT no interior de Minas Gerais, comoveu o Brasil inteiro. Nela, a dor de uma mãe que teve os sonhos destruídos pelo fantasma da negligência.

 

Segundo Tânia Borges da Silva, moradora da cidade de Araguari, o bebê que ela esperava, uma menina que se chamaria Rebeca, teve a cabeça arrancada durante o parto. O médico que realizou o procedimento teria puxado a criança pelos pés.

 

Apesar das duas tentativas de internação para fazer uma cesária, encaminhadas pelo médico do pré-natal, Tânia não conseguiu ficar internada. Na última tentativa, a paciente conseguiu a internação, mas apesar de o médico que acompanhou a mãe da criança, que é da cidade de Tupaciguara, a 60km de Araguari, alegar que, no caso dela, não teria como ser parto normal, os plantonistas da Santa Casa de Araguari insistiram em tentar o parto natural. A criança estava na posição pélvica (sentada).

 

“Na ambulância, a enfermeira disse para o motorista: “Pisa porque se nascer aqui, vai morrer todo mundo”. No hospital, a enfermeira começou a empurrar. Nisso, minha filha ficou presa na região da bacia, e eu sentia dor. Na hora que puxaram pelos pés, arrancaram a cabeça dela”, alegou Tânia na reportagem.

 

Após a perda da filha, Tânia entrou na Justiça contra a Santa Casa de Araguari. O processo ainda está em andamento e o hospital não quis se pronunciar sobre o assunto. destruídos pelo fantasma da negligência. Segundo Tânia Borges da Silva, moradora da cidade de Araguari, o bebê que ela esperava, uma menina que se chamaria Rebeca, teve a cabeça arrancada durante o parto. O médico que realizou o procedimento teria puxado a criança pelos pés.

Apesar das duas tentativas de internação para fazer uma cesária, encaminhadas pelo médico do pré-natal, Tânia não conseguiu ficar internada. Na última tentativa, a paciente conseguiu a internação, mas apesar de o médico que acompanhou a mãe da criança, que é da cidade de Tupaciguara, a 60km de Araguari, alegar que, no caso dela, não teria como ser parto normal, os plantonistas da Santa Casa de Araguari insistiram em tentar o parto natural. A criança estava na posição pélvica (sentada).

 

“Na ambulância, a enfermeira disse para o motorista: “Pisa porque se nascer aqui, vai morrer todo mundo”. No hospital, a enfermeira começou a empurrar. Nisso, minha filha ficou presa na região da bacia, e eu sentia dor. Na hora que puxaram pelos pés, arrancaram a cabeça dela”, alegou Tânia na reportagem.

 

Após a perda da filha, Tânia entrou na Justiça contra a Santa Casa de Araguari. O processo ainda está em andamento e o hospital não quis se pronunciar sobre o assunto.

 

 

 

Paraíba em Minuto com Paraíba.com e Eduardo Figueiredo

 

 

 

Acompanhe mais notícias do Paraíba em Minuto nas redes sociais: Facebook e Instagram.

Entre em contato com a redação do Paraíba em Minuto: 

Telefone: (83) 98704-3401

WhatsApp: (83) 98704-3401

E-mail: redacaosantaritaverdade@gmail.com

Veja Também

Brasil ultrapassa a marca de 300 milhões de doses aplicadas contra a Covid-19

Segundo o Ministério da Saúde, 129,8 milhões de brasileiros completaram o esquema vacinal, uma taxa ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.