Home / BRASIL / Duque de Caxias se torna a 1ª cidade a retirar a obrigatoriedade da máscara no Brasil; Capitais do Rio de Janeiro e São Paulo estudam a mesma medida

Duque de Caxias se torna a 1ª cidade a retirar a obrigatoriedade da máscara no Brasil; Capitais do Rio de Janeiro e São Paulo estudam a mesma medida

O uso de máscaras, em locais abertos ou fechados, foi desobrigado no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A flexibilização faz parte de decreto publicado na última 3ª feira (5.out.2021) pelo prefeito Washington Reis (MDB). Segundo informações da prefeitura, o município tem 46,8% da população totalmente imunizada.

Segundo o decreto, “fica desobrigado o uso de máscara facial no período da pandemia do covid-19, em local aberto ou fechado, em todo o território do município de Duque de Caxias”. Este caso não se aplica à pessoa que se encontre infectada ou com suspeita de estar contaminada com o novo coronavírus durante o período de transmissão.

Atualmente, segundo a prefeitura, Duque de Caxias já aplicou mais de 900 mil doses da vacina contra a covid-19. O número de aplicações de primeira dose ultrapassou a marca de 70% da população-alvo e a 2ª dose atingiu 46,8% dos moradores do município.

Na cidade do Rio de Janeiro, a flexibilização do uso de máscaras começará no próximo dia 15, com a dispensa em locais abertos e sem aglomeração, quando se estima esquema completo de vacinação em 65% da população. A liberação praticamente completa da máscara na capital só deverá acontecer em 15 de novembro, quando 75% da população já estiver vacinada.

Secretario de saúde de São Paulo disse hoje que estuda a liberação em 18 de outubro.

Paraíba em Minuto com Agencia Brasil

Acompanhe mais notícias do Paraíba em Minuto nas redes sociais: Facebook e Instagram

Entre em contato com a redação do Paraíba em Minuto:

Telefone: (83) 98669-7489

Veja Também

Ricardo Barros apresenta notícia-crime contra Renan Calheiros por denunciação caluniosa

Indiciado no relatório final da CPI da Covid-19, líder do governo na Câmara fala parcialidade ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.