Home / BRASIL / Ricardo Barros apresenta notícia-crime contra Renan Calheiros por denunciação caluniosa

Ricardo Barros apresenta notícia-crime contra Renan Calheiros por denunciação caluniosa

Indiciado no relatório final da CPI da Covid-19, líder do governo na Câmara fala parcialidade do senador e cita ‘ativismo político’ contra o governo federal.
Nas redes sociais, o parlamentar comentou sobre a notícia-crime apresentada e disse que as investigações provam sua inocência 

O líder do governo na Câmara, deputado federal Ricardo Barros, apresentou nesta terça-feira, 26, uma notícia-crime contra o relator da CPI da Covid-19, Renan Calheiros, por abuso de autoridade e denunciação caluniosa.

O documento enviado ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, diz que o parlamentar foi indiciado – no relatório final da comissão, que será votado ainda hoje – sem qualquer prova e que o senador imputou crimes ao deputado para “satisfazer interesse político de atacar e desgastar o governo”, além de “satisfazer seu interesse de autopromoção”.

Segundo o texto, Barros teria sido indiciado por incitação ao crimeadvocacia administrativaformação de organização criminosa e improbidade administrativa. No entanto, a defesa alega que as provas levantadas pelo colegiado “não servem de suporte mínimo para as conclusões que o relatório final chegou”.

“Nenhum dentre os numerosos depoimentos colhidos pela CPI da Pandemia confirmou a versão defendida pelo senador Renan Calheiros em seu relatório”, diz parte do documento, que reforça, em outro momento, que “todas as pessoas” teriam negado o envolvimento do líder do governo nos fatos denunciados pelos senadores. A notícia-crime cita ainda o que chama de parcialidade de Renan Calheiros e fala em “ativismo político” contra o governo federal.

“Longe de apresentar os resultados reais do que foi apurado, descambou para ser usado como instrumento de imputação falsa de crimes e indiciamentos sem lastro mínimo probatório, visando prejudicar os agentes que compõem o governo”, afirma o documento, onde é ressaltado que o indiciamento de Ricardo Barros teve “proposital intenção de prejudicar” o governo e o próprio deputado.

Nas redes sociais, o parlamentar comentou sobre a notícia-crime apresentada. Em publicação no Twitter, Barros disse que a investigação dos senadores na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) provou que ele não teve participação no caso da vacina Covaxin.

“Ele [Renan Calheiros] insiste na denúncia. Pedi ao PGR, [Augusto] Aras as providências”, diz na publicação. Além de Ricardo Barros, outros 77 indiciamentos são aguardados no relatório final do colegiado, entre eles, do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Paraíba em Minuto

Acompanhe mais notícias do Paraíba em Minuto nas redes sociais: Facebook e Instagram

Entre em contato com a redação do Paraíba em Minuto:

Telefone: (83) 98669-7489

Veja Também

Policia Federal cumpre mandado de busca na Paraíba, em investigação que mira pedofilia em 20 Estados

A Polícia Federal (PF) desencadeou hoje a ‘Operação Lobos 2’, contra suspeitos de abuso sexual ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.