Home / POLICIAL / Polícia prende mulher suspeita de assassinar amante, no Agreste

Polícia prende mulher suspeita de assassinar amante, no Agreste

Foi presa e encaminhada para o Presídio Feminino Maria Júlia Maranhão, nesta sexta-feira (12), uma mulher suspeita de ter matado o ex-amante no município de Guarabira, interior do estado.

De acordo com a Polícia Civil, a prisão de Marília de Carvalho Marinho, de 22 anos, aconteceu em Bananeiras. A jovem é apontada pelas investigações como autora da morte do comerciante Pedro Morais de Medeiros Neto, de 38 anos, do qual ela era sócia e possuía uma relação amorosa e extraconjugal.

Ainda segundo a polícia, com a suspeita, foi encontrado o celular do comerciante, que passará por perícias. Após ser presa, a mulher contou onde estava o veículo da vítima, que foi encontrado totalmente queimado à 97 quilômetros da cidade onde ocorreu o crime.

O delegado Hugo Lucena afirma que a vítima era natural da cidade de Patos e viajou até Guarabira no dia 8 de junho deste ano, quando foi assassinado a tiros. O crime ocorreu nas imediações do Memorial Frei Damião. Para a polícia, não há dúvidas sobre a autoria do crime.

“A acusada confessou a autoria do crime e alegou ter matado, porque era chantageada por Pedro”, destacou o delegado.

Marília será submetida a exame de corpo de delito e apresentada à justiça durante audiência de custódia. Em seguida, será encaminhada ao presídio feminino de João Pessoa.

Paraíba em Minuto

Acompanhe mais notícias do Paraíba em Minuto nas redes sociais: Facebook e Instagram

Entre em contato com a redação do Paraíba em Minuto:

Telefone: (83) 98704-3401

WhatsApp: (83) 98704-3401

Sobre Paraíba em Minuto

Veja Também

Mãe suspeita de acorrentar e torturar menino de 7 anos tem outro filho de 1 ano e seis meses

A criança foi encontrada com sinais de hematomas e queimaduras pelo corpo, com um quadro ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.