Home / BRASIL / Receita Federal deve cancelar mais de um milhão de CPFs com indícios de fraudes

Receita Federal deve cancelar mais de um milhão de CPFs com indícios de fraudes

A operação visa a combater fraudes em programas de políticas sociais, como é o caso do auxílio emergencial
A operação visa a combater fraudes em programas de políticas sociais, como é o caso do auxílio emergencial Foto: Hipólito Pereira

Nesta segunda-feira (dia 16), a Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil deu início a uma operação de integridade e apurações de fraudes no Cadastro de Pessoas Físicas. Estima-se que mais um milhão de CPFs sejam cancelados.

A Coordenação-Geral de Gestão de Cadastros e Benefícios Fiscais (Cocad) vai realizar uma apuração em sua base de dados para suspender CPFs de pessoas que possam ter morrido. Essa ação será dividida em fases, em lotes mensais, que totalizam 1.007.965 documentos; sendo que, no primeiro deles, serão suspensos cem mil.

O objetivo é evitar que o CPF de uma pessoa falecida seja usado por terceiros para cometer crimes tributários e outras irregularidades. Dessa forma, será possível qualificar a identificação do cidadão e, consequentemente, aprimorar a eficiência de políticas públicas que se utilizam desse cadastro, como foi possível no caso da concessão do auxílio emergencial.

Para contestar a suspensão e regularizar a situação do CPF, os cidadãos devem entrar em contato com a Receita Federal por meio do site www.gov.br/receitafederal/pt-br/canais_atendimento.

Paraíba em Minuto

Acompanhe mais notícias do Paraíba em Minuto nas redes sociais: Facebook e Instagram

Entre em contato com a redação do Paraíba em Minuto:

Telefone: (83) 98704-340

Sobre Paraíba em Minuto

Veja Também

30 Milhões de Doses: Governo agiliza processo de aquisição de vacinas da Índia e Rússia

O Ministério da Saúde dispensou o uso de licitação para compra das vacinas Covaxin, da ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.