Home / NOTÍCIAS / AMPB quer Delegado da Polícia Civil para apurar delitos cometidos contra juiz em Santa Rita

AMPB quer Delegado da Polícia Civil para apurar delitos cometidos contra juiz em Santa Rita

ampb 01

A Associação dos Magistdos da Paraíba divulgou nota pública de apoio ao juiz Aluizio Bezerra Filho, vítima de agressões, ameaças, injúrias e calúnias por ocasião de uma manifestação por um grupo de 20 pessoas recrutadas que interditou a BR 230.

Na nota, a AMPB está requerendo ao Secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Claudio Lima, a designação de um Delegado especial para instaurar inquérito policial e apurar a responsabilidade dos vários delitos praticados, como também, quem financiou, bancou e custeou as despesas, visto que muitas pessoas se mostraram carentes e pobres, além da falta de conhecimento para escrever as faixas com redação direcionada para ofender aos órgãos da Justiça, causar desordem pública e desqualificar autoridades.

Também será objeto de investigação o uso e desvio de dinheiro público para a realização do ato de vandalismo.

O bando que causou tumulto e baderna na via pública tinha pessoas encapuzadas, e teria sido organizado por um Sargento da Polícia Militar a mando de políticos locais inconformados com a decisão do juiz que determinou o retorno do prefeito eleito Reginaldo Pereira, cuja decisão foi mantida pelo TJPB e também pelo STJ.

Fotos dos Vândalos:

10690256_632213820238381_8262786062558061969_n
Ex-Diretor da Defesa Civil de Netinho

 

10402492_632965503496546_5460994717790134900_n
Ex-Diretor de Transportes da Saúde de Netinho

 

Veja a Nota Pública da AMPB:

A Associação dos Magistrados da Paraíba vem a público promover os devidos esclarecimentos sobre a realidade dos fatos e manifestar sua indignação contra ofensas imputadas ao juiz Aluízio Bezerra Filho, no exercício da judicatura, em protestos ocorridos na cidade de Santa Rita (PB):

1 – O magistrado, na condição de juiz convocado para integrar o Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba, decidiu em Agravo de Instrumento, no último mês de dezembro, o deferimento de tutela recursal suspendendo decisões da Câmara Municipal de Santa Rita, cujo efeito jurídico foi a reintegração no cargo do Agravante, que vem a ser o prefeito eleito constitucionalmente.

2 – Contra a decisão monocrática do citado magistrado foi impetrado mandado de segurança, cuja liminar foi indeferida pelo desembargador José Ricardo Porto, mantendo assim, a decisão atacada.

3 – Insatisfeitos ainda, os terceiros interessados ajuizaram ação perante o Superior Tribunal de Justiça, cabendo ao ministro Francisco Falcão indeferir o pedido, e assim, mais uma vez ,ficar mantida a decisão prolatada pelo juiz Aluizio Bezerra Filho.

4 – Como se vê, ao ser mantida por duas vezes, inclusive pelo STJ, a decisão do magistrado se mostra robusta, estudada e bem fundamentada.

5 – O juiz Aluizio Bezerra Filho ao longo de seus 22 anos de magistratura tem se apresentado com eficiência, sabedoria e uma conduta exemplar, sem que haja registro em sua ficha funcional de máculas ou fatos desabonadores.

6 – A livre expressão de manifestação ou ato de protesto é um direito constitucional, mas as ofensas e agressões não estão imunes aquele exercício, de modo que, a AMPB lamenta que pessoas do povo, em reduzido número, sejam usada para atingir fins à margem do estado de direito.

7 – Assim, a AMPB presta integral solidariedade ao seu associado e repudia afronta às prerrogativas e garantias da judicatura, para não permitir o desrespeito aos membros do Poder Judiciário, atuando assim, na defesa de prestígio e credibilidade.

8 – Por fim, a AMPB está requerendo ao Secretário de Segurança Pública de Defesa Social, a designação de um Delegado para que se instaure inquérito a fim de apurar a condutas típicas dos resonsáveis pela ofensa a direitos, leis e a ordem pública.

João Pessoa, 7 de janeiro de 2015.

Juiz Horácio Melo

Presidente da AMPB

Veja Também

FAVORECENDO BANDIDOS: Gordão do PCC, livre, leve e solto, por determinação unânime do STJ

Foto: Reprodução/TV Tribuna Um dos principais chefes do PCC e do tráfico de drogas na ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.