Home / PARAÍBA / Servidores da educação municipal fazem protesto em João Pessoa

Servidores da educação municipal fazem protesto em João Pessoa

Professores da rede municipal de ensino pedem reajuste salarial de 16%.

Negociações foram interrompidas na última sexta-feira (13), diz sindicato.

Do G1 PB

Servidores se concentraram em frente ao Centro Administrativo de João Pessoa (Foto: Walter Paparazzo/G1)
Servidores se concentraram em frente ao Centro Administrativo de João Pessoa (Foto: Walter Paparazzo/G1)

Os professores e servidores da Rede Municipal de João Pessoa, que deflagraram greve nesta segunda-feira (16), realizam um protesto nesta manhã em frente ao Centro Administrativo Municipal, no bairro de Água Fria. Segundo o sindicato, o objetivo é reabrir as negociações sobre o reajuste salarial da classe com o prefeito Luciano Cartaxo (PT). Em reunião na sexta-feira (13), Cartaxo ofereceu uma proposta de aumento de 3%, considerada “bem abaixo do esperado” pelos professores, que reivindicam um reajuste de 16%.

Categoria usou faixas durante o protesto (Foto: Walter Paparazzo/G1)
Categoria usou faixas durante o protesto (Foto: Walter Paparazzo/G1)

Luiz Armando, que participa da comissão de negociação do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Município de João Pessoa (Sintem), disse que a proposta não será aceita pela categoria. “Não podemos chegar na assembleia desta quarta-feira (18) com este percentual. Está muito abaixo do esperado. Inclusive, esta proposta da prefeitura cessou a negociação das outras reivindicações”, relatou.

O protesto, segundo Luiz, tem como objetivo chamar atenção do prefeito para que as negociações possam ser retomadas, em relação ao reajuste e sobre as modificações no Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR).

A Prefeitura de João Pessoa não se posicionou sobre uma possível retomada das negociações com a categoria. O G1 tentou entrar em contato com a Secretaria de Comunicação Municipal, mas não obteve resposta até as 10h40 desta segunda-feira.

A asssoria de imprensa da Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob) informou que agentes de trânsito estão no local para organizar o fluxo de veículos, que continuava lento às 10h30, mas que nenhuma rua foi bloqueada.

Veja Também

SEM PENSAR NO POVO: Ministros do STF aprovam próprio reajuste de seus salários, que podem chegar a R$ 46 mil em 2023

Atualmente, salário dos magistrados é R$ 39,2 mil; remuneração serve como teto para os vencimentos ...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

%d blogueiros gostam disto: