Home / PARAÍBA / Começa greve por tempo indeterminado dos bancários da Paraíba

Começa greve por tempo indeterminado dos bancários da Paraíba

Categoria cobra reajuste salarial e não aceitou proposta apresentada pela Fenaban.

A partir desta terça-feira (6) os bancários da Paraíba entram em greve por tempo indeterminado. A categoria cobra reajuste salarial e não aceitou a última proposta feita pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). O movimento foi aprovado por unanimidade durante uma assembleia realizada na noite de quinta-feira (1º).

De acordo com o Sindicato dos Bancários, a decisão por greve ocorreu porque a proposta oferecida pelos bancos não atende às reivindicações da categoria. A Fenaban propôs reajuste de 6,5% no salário, na participação nos lucros e resultados e nos auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil. A proposta, segundo o sindicato, não cobriria, sequer, a inflação do período, projetada em 9,57% para agosto deste ano e representaria perdas de 2,8% para os bancários.

“Além de reduzir salários, ressuscita o artifício do abono salarial, que é um retrocesso, quando queremos a reposição da inflação e ganho real, um modelo consagrado há mais de doze anos de negociações, porque os lucros dos bancos são suficientes para o atendimento às nossas reivindicações. Mas, ante a falta de seriedade e a mesquinhez dos banqueiros, os bancários foram coerentes e deliberaram pala deflagração da greve”, afirmou o presidente do Sindicato dos Bancários, Marcelo Alves.

Na segunda-feira (5), representantes dos bancários se reuniram com a Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de João Pessoa (Procon-JP) e discutiram medidas para os consumidores não sofram grandes maiores prejuízos durante a greve.

“Na reunião com os representantes dos bancos e dos bancários ficou acordado que os serviços de acesso aos caixas eletrônicos, desbloqueio de senha, furto de cartão e prova de vida para fins de recebimento de aposentadoria e pensão não serão prejudicados, já que se tratam de casos atípicos e de urgência”,disse o secretário do Procon-JP, Marcos Santos.

O secretário alertou que os representantes dos bancos e dos bancários se comprometeram no abastecimento de envelopes para depósitos, mas não garantiram que não haverá problemas quanto a esse serviço. “A exemplo de outras greves, a falta de envelope sempre é problemática. Esse assunto foi abordado na reunião e eles garantiram o abastecimento, mas avaliaram que pode vir a faltar envelopes, uma vez que cada banco tem um fluxo especifico de clientes, podendo ocorrer atraso nesse abastecimento. O Procon-JP ficará atento para qualquer abusividade que possa ocorrer durante a paralisação”, afirmou.

Santos alertou que para reduzir prejuízos durante o movimento grevista a população deve procurar meios alternativos como postos de atendimento bancário, a exemplo de casas lotéricas e correspondentes bancários, além de aplicativos de celular e internet para realizar suas operações bancárias.

Veja Também

CALOTE: Mais de 200 colaboradores acusam Cebraspe de calote em concurso na Paraíba

Pelo menos 200 colaboradores acusam o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.