Home / HI-TECH / Windows 10 pode ajudar a corrigir alto consumo de memória do Google Chrome

Windows 10 pode ajudar a corrigir alto consumo de memória do Google Chrome

Com a chegada da nova versão 2004 do Windows 10 liberada no mês passado, o histórico meme do Google Chrome comendo memórias RAM pode estar se encaminhando para um fim graças a uma funcionalidade que estreia com a atualização de maio (20H1).

A Microsoft revelou que a nova versão do Windows 10 apresentou o “SegmentHeap” para desenvolvedores, oferecer uma implementação moderna de pilhas que promete “reduzir o consumo geral de memória” para a versão 2004 e mais recentes do sistema operacional.

Segundo a própria Microsoft, a implementação da nova funcionalidade está sendo utilizada na versão do navegador Edge baseado em Chromium, e testes internos já mostraram uma redução de até 27% no consumo de RAM com a implementação do novo SegmentHeap.

Famoso pelo alto consumo de memória, memes do Google Chrome e RAM pode finalmente chegar ao fim.

É muito provável que o Google Chrome seja beneficiado com a novidade e, segundo publicações no Chromium Gerrit, tal mudança já estaria em desenvolvimento pelo Google para reduzir o consumo de memória em seu navegador, mas ainda não sabemos quando a atualização deve ser lançada.

Ainda assim, vale lembrar que o SegmentHeap é exclusivo para a versão 2004 (20H1) do Windows 10 e, com isso, apenas a atual e futuras versões do sistema operacional vão oferecer suporte para a característica.

Mesmo que você possa ter acesso a futura versão do Chrome ou Edge atualizado, será necessário estar com as atualizações de software em dia no seu PC ou notebook para aproveitar o recurso.

Paraíba em Minuto

Acompanhe mais notícias do Paraíba em Minuto nas redes sociais: Facebook e Instagram

Entre em contato com a redação do Paraíba em Minuto:

Telefone: (83) 98704-3401

Sobre Paraíba em Minuto

Veja Também

LIBERDADE DE EXPRESSÃO: Facebook recorre de bloqueio de contas bolsonaristas no exterior

Depois do Twitter, mais uma rede social se indigna com silêncio imposto pelo ministro do ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.