Home / POLITICA / Senador José Maranhão sofre intimidação em Araruna e é obrigado a fugir por matagal

Senador José Maranhão sofre intimidação em Araruna e é obrigado a fugir por matagal

Após pouso de avião, senador afirma ter sofrido bloqueio na saída de aeroporto por três caminhonetes; caso foi comunicado à Justiça e ao Ministério Público;

Senador José Maranhão

Senador José Maranhão

O senador José Maranhão (PMDB) foi alvo de intimidação nessa sexta-feira (30), no campo de pouso da cidade de Araruna, terra natal dele, no Agreste da Paraíba, a 165 km de João Pessoa, e foi obrigado a fugir por um matagal.

O parlamentar chegava à cidade e era esperado por várias pessoas no local. O PMDB divulgou uma nota de repúdio neste sábado (1º). Confira abaixo, na íntegra.

Quando o avião pousou, o senador foi surpreendido por três caminhonetes que fizeram ‘cavalo de pau’ em frente à aeronave. Um dos motoristas, segundo Maranhão, fechou a saída do aeroporto, parando a caminhonete em frente a uma porteira, impedindo que ele deixasse o local.

O senador esperou que as três caminhonetes liberassem a porteira. Como os veículos permaneceram parados na saída do campo de pouso, Maranhão resolveu ir até eles e travou o seguinte diálogo: “O que vocês querem?”. Um deles: “Soubemos que o senhor tem uma arma no carro”. Maranhão: “Vocês são policiais? São agentes da Justiça Eleitoral, têm mandado?”. Um deles: “Não, mas estamos cuidando das eleições”.

Maranhão disse que pediu a liberação da porteira para que pudesse se dirigir para a casa dele. Como os ocupantes das caminhonetes se negaram, o motorista do senador avançou no meio do mato até chegar ao Centro da cidade. Maranhão disse que optou pela saída para evitar um confronto maior. No Centro de Araruna, o senador recebeu a solidariedade de pessoas que estavam nas ruas. Ele comunicou o corrido ao promotor e ao juiz da Comarca. O parlamentar disse estar preocupado com a onda de violência e intimidação nesta reta final da campanha. “Nunca em minha vida fui impedido de ir e vir onde quer que seja. O povo de Araruna não merece viver amedrontado. O direito do cidadão de ir e vir precisa ser preservado”, disse o senador depois do que ocorreu no campo de pouso.

Sobrinho do senador, o deputado federal Benjamin Maranhão (SD) denunciou clima de terror e atos de violência em Araruna e solicitou do governo do Estado ação efetiva para que a Polícia Militar cumpra determinação da Justiça Eleitoral de coibir esse tipo de prática.

Confira na íntegra nota de repúdio divulgada pelo PMDB:

O PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro), partido que sempre se pautou pelas liberdades democráticas, vem externar seu mais vivo repúdio às covardes agressões desfechadas contra o senador José Maranhão e demais lideranças do partido, nas últimas horas, em Araruna, estabelecendo um clima de terrorismo que em nada se coaduna com o espírito de equilíbrio e maturidade que deve pautar o processo eleitoral.

Ao mesmo tempo em que lamenta o clima de violência crescente no Estado, o PMDB conclama as autoridades constituídas para que exerçam seu papel institucional no sentido de manter a ordem e assegurar as liberdades individuais a todos os cidadãos, e oferecer segurança para que todos possam desempenhar seu papel constitucional na democracia que pressupõe eleições livres e sem pressões de qualquer ordem.

Por fim, o PMDB se solidariza com o senador José Maranhão e demais integrantes do partido vítimas da brutalidade da parte de quem ainda não compreendeu que a mais bela lição da democracia é a convivência dos contrários. É na convivência dos contrários que se constrói uma nação livre e plural. 

Veja Também

ABSURDO: STJ vai gastar R$ 70 mil com pão de queijo e cápsulas de café

Foto: Agência Brasil Dando sequência a grande tradição de mordomia e gestão perdulária das receitas, ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.