Home / GERAL / UNIDOS: Advogados ligados a Lula se reúnem com Fachin para falar sobre momento político

UNIDOS: Advogados ligados a Lula se reúnem com Fachin para falar sobre momento político

Edson Fachin repetiu que o tribunal trabalha para realizar eleições seguras e que os eleitos serão diplomados

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin, afirmou que a Justiça Eleitoral não vai aceitar “intimidações” e que a sociedade demonstrou, nas últimas semanas, que “não tolera o negacionismo eleitoral”.

As declarações do ministro ocorreram nesta terça-feira (26), durante um encontro com dez advogados simpáticos ao ex-presidente Lula que integram o chamado Grupo Prerrogativas, que reúne advogados e juristas que apoiam a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Eles pediram uma reunião com Fachin para falar sobre o atual momento político. Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro voltou a cobrar mais segurança nas urnas em um encontro com embaixadores.

A iniciativa gerou reação de diferentes entidades ligadas a esquerda, com a divulgação de mais 60 notas de apoio à Justiça Eleitoral.

Foto: Antonio Augusto/Secom/TSE - Audiência com Grupo Prerrogativas - 26.07.2022

Durante o encontro, Fachin repetiu que o TSE trabalha para realizar eleições seguras e que os eleitos serão diplomados. “O TSE não está só, porquanto a sociedade não tolera o negacionismo eleitoral. O ataque às urnas eletrônicas como pretexto para se brandir cólera não induzirá o país a erro”, afirmou.

O presidente da corte disse ainda que “a Justiça eleitoral não se fascina pelo canto das sereias do autoritarismo, não se abala às ameaças e intimidações”. “Somos juízes, e nosso dever é abrir os nossos ouvidos à Constituição e às suas cláusulas pétreas democráticas.”

Outro ponto abordado por Fachin foi a escalada da violência política nos últimos meses. Na semana passada, o ministro criou um grupo de trabalho para debater ações para enfrentar o problema.

“Preparamos eleições pacíficas. Não toleraremos violência eleitoral, subtipo da violência política. A Justiça Eleitoral não medirá esforços para agir, a fim de coibir a violência como arma política e enfrentar a desinformação como prática do caos”, afirmou.

Fachin disse ainda que a “agressão às urnas eletrônicas é um ataque ao voto dos mais pobres”

Paraíba em Minuto com Hudson Almeida

Acompanhe mais notícias do Paraíba em Minuto nas redes sociais: Facebook e Instagram

Entre em contato com a redação do Paraíba em Minuto:

Telefone: (83) 98669-7489

Veja Também

Ministros do STF vão votar amanhã aumento dos próprios salários e causam revolta na web

Foto Reprodução/Internet O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, marcou para esta ...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

%d blogueiros gostam disto: